Banda Sociedade Musical Barão do Rio Branco

           Cristiano Otoni já teve duas bandas de música: Sociedade Musical Barão do Rio Branco, fundada em 11/02/1911 e a Corporação Musical Nossa Senhora da Guia, fundada no princípio do ano de 1947. As mesmas sempre abrilhantavam as festividades locais, e no mês de maio as duas participavam cada dia uma. Nas procissões de Semana Santa e outras festas as duas participavam juntas.

            A Sociedade Musical Barão do Rio Branco tinha seu uniforme amarelo cáqui, com camisa branca e gravata preta, e a Corporação Musical Nossa Senhora da Guia tinha seu uniforme com calça azul marinho, túnica branca e quepe azul marinho.

            Logo ganharam os apelidos de João de Barro e Andorinha, respectivamente. O Sr. Antonio Costa era o Maestro e professor da Soc. Mus. Barão do Rio Branco, as aulas eram gratuitas e ele não tinha remuneração. O Sr. Marcelino era o professor da Corp. Mus. Nossa Senhora da Guia, e o Maestro era o Dino. O Sr. Marcelino (professor) era pai da D. Maria Galdina de Oliveira, viúva do Sr. Hélio de Oliveira (Bem do Dionízio).

             Atualmente contamos com a Sociedade Musical Barão do Rio Branco (foto abaixo)

Sociedade Musical Barão do Rio Branco se apresentando no V Encontro de Bandas de Música de Cristiano Otoni, em 16 de junho de 2002.

 

Sociedade Musical Barão do Rio Branco

                No dia 11 de fevereiro do ano de 1911 foi fundada a Sociedade Musical Barão do Rio Branco. Assumiram como primeiros dirigentes, eleitos em 15 de fevereiro de 1911 e empossados dia 18 do mesmo mês e ano, os senhores:

Presidente -                            Silvério Luiz Gonzaga

Vice-Presidente -                    Leonídio Pereira Dutra

1º Secretário -                        João Gomes de Oliveira

2º Secretário -                        José Lino do Nascimento

1º Tesoureiro -                        Antonio Pedro de Oliveira

2º Tesoureiro -                        Euclides Augusto de Souza

Conselho Fiscal -                    Acácio Alves Nogueira

                                             José Antonio Segundo

                                             Antonio Gonçalves Costa

Comis. de Sindicância -           José dos Santos Ducas

                                             Jesus Garcia Vidal

                                             José Abrahão Caran

Regente -                               Severino dos Reis Páscoa

Subregente -                          Ulisses Gomes de Oliveira

Músicos - Claudionor Nogueira Alves, Luiz Gonzaga, João de Assis Vieira, Jaime Coimbra, Francisco Shifini, Miguel Martins Dias, Carlos Antonio de Amorim, Bebiano José Vieira, José Ducas, Antonio Vieira, Castilho de Carvalho, Antonio Fernandes Costa, Quintino Correia, Euclides de Carvalho, Ulisses Gomes de Oliveira, Adalberto Tavares, Severino de Carvalho, Florentino de Carvalho, Alfredo Costa, José Lino do Nascimento, José Antonio Coimbra, Samuel da Costa Leite, Melclides de Carvalho.

                O Distrito de Christiano Ottoni foi criado pela Lei nº 556, de 30/08/1911, sendo à época parte do então Município de Queluz (atual Conselheiro Lafaiete). Abaixo apresentamos uma foto da instalação do então novo Distrito, onde podemos observar a presença de populares, autoridades e a Sociedade Musical Barão do Rio Branco, fundada em 11/02/1911.

 

A foto abaixo foi feita em meados do final da década de 1920 e início da década de 1930.

             

            Temos nesta foto: - em pé, da esquerda para a direita: 1) Bombo: Ozéias Schifini (Dedão); 2) Baixo: não identificado; 3) Sax horn: não identificado; 4) Sax horn: Joaquim (da Sra. Marcida); 5) Sax horn: Antonio Vieira (pai do falecido sr. Décio); 6) Trombone: Ernestino Zille; 7) Trombone: Orlando; 8) Trompa sinfônica: Joaquim Nascimento; 9) Bombardino: não identificado; 10) Baixo: não identificado; 11) Maestro: Higino de Oliveira.

                – Sentados, da esquerda para a direita: 12) Tarol: Walter Teixeira; 13) Pratos: Henrique Damasceno; 14) Trompete: José Zille (Zizinho); 15) Trompete: Antonio Costa (avô do Maestro Dequinha); 16) Presidente: José Lino; 17) Clarinete: Geraldo Magella; 18) Clarinete: Sebastião Araújo (Caramujo); 19) Clarinete: Rubens Barbosa; 20) Clarinete: José Rufino.

               Desde sua fundação apresenta-se em cerimônias e festividades cívicas e religiosas, sendo uma das maiores expressões culturais da comunidade cristianense. Apresenta-se também em outras cidades, abrilhantando festividades locais e participando de encontros de bandas de música.

                Atualmente, a Sociedade Musical Barão do Rio Branco conta com aproximadamente 35 (trinta e cinco) músicos, sob a regência do Maestro Antonio Carlos Costa Vieira (Dequinha), e mantém, em parceria com a Prefeitura, uma escola de música gratuita, com aulas às terças e quintas-feiras, a partir das 15:00 horas. A sede da banda de música (própria) está localizada à Rua Antonio José da Costa, nº 49, Centro. Tem personalidade jurídica própria, além de Regimento Interno e Estatuto devidamente registrado. Declarada de utilidade pública através da Lei nº 15, de 09/11/1977 e tombada como bem imaterial do patrimônio cultural do Município.

Foto: Oscar Tavares (Caliquinho)

Sociedade Musical Barão do Rio Branco em duas fotos no mesmo local - Praça Santo Antonio - em diferentes épocas: acima, 1969; abaixo, 1995

Foto: Wincler Luiz Magella

 Foto: Mayron Rafael do Espírito Santo, em 13/01/2011

Sociedade Musical Barão do Rio Branco nos preparativos da comemoração de seu centenário de fundação, em 11/02/2011

1º Congresso Arquidiocesano Mariano

            No dia 15 de agosto de 1954, com a presença do Revmo. Dom Helvécio Gomes de Oliveira e do Dr. Juscelino Kubitschek de Oliveira, então Governador do Estado, Prefeitos, Bispos e demais autoridades, foi realizado o final do 1º Congresso Arquidiocesano Mariano, em Conselheiro Lafaiete, e lá estava a nossa Sociedade Musical Barão do Rio Branco, abrilhantando esta grande festa, juntamente com mais nove corporações musicais. Como sempre, destacou-se a nossa banda, que desfilou do Colégio Pio XII até à Praça da Matriz, executando o dobrado "Quarto Centenário", de Mário Zan, que fazia muito sucesso na época.

           O evento gravado por uma empresa cinematográfica, e o filme exibido nos cinemas locais e em todo o Brasil. Quando foi exibido em Conselheiro Lafaiete, saíram especiais em carrocerias de camionetas para ver o filme. Nos cinemas de Lafaiete aparecia a nossa banda, que se apresentou de terno azul marinho e quepe branco – foi o nosso uniforme neste dia, devido ao estado precário que se achava nosso uniforme tradicional amarelo cáqui.

 Algumas Partituras da Banda Sociedade Musical Barão do Rio Branco

 Galeria de Vídeos

  • Seleção Natalina - 22/12/2018
  •  Apresentação no Crio Fest Festival - 24/03/2019.
  • Apresentação Sociedade Musical Barão do Rio Branco - 13/02/2011
  • Apresentação Sociedade Musical Barão do Rio Branco - 2011